TI e Telecom são os setores que mais ofertam emprego no Brasil

7COMmCarreira em TITI e Telecom são os setores que mais ofertam emprego no Brasil
7
out
2015

empregos-area-TI

A equipe do portal Love Mondays, especializado em vagas de emprego, realizou um levantamento inédito sobre o perfil das ofertas de trabalho disponíveis no Brasil. Segundo mostra a pesquisa, os setores de TI e Telecom são os que estão gerando mais empregos no mercado brasileiro atualmente. O estudo inclui cargos, setores e regiões do país.

Do total de vagas disponíveis na plataforma, cerca de 36% são de empresas de TI e Telecom. O setor de bens de consumo aparece na segunda posição, com 21% do total de vagas disponíveis, enquanto Serviços Financeiros aparece em seguida com 17%. Os três setores somados correspondem a 74% de todas as vagas que são ofertadas atualmente no site. Os setores de Manufatura Industrial e Consultoria e Contabilidade respondem por 6% das vagas em aberto cada, seguidos de perto de Mídia e Comunicação, com 4%. Já o segmento de Agropecuária responde por 3% das vagas, enquanto o Automotivo por apenas 2%.

De acordo com Luciana Caletti, CEO e uma das fundadoras da plataforma, “é interessante ver que o setor de tecnologia da informação continua aquecido. Mesmo em tempos de crise, os investimentos nesta área continuam crescendo pois eles permitem que as empresas criem um diferencial competitivo, automatizem processos para melhorar a eficiência e, portanto, reduzam os custos”.

De todas as vagas disponíveis no portal, cerca de 73% estão concentradas na região Sudeste. O restante das oportunidades se dividem nas regiões Sul (11%), Nordeste (4%), Norte (4%) e Centro-Oeste (8%). Na divisão por estados, São Paulo lidera com 61% das vagas, seguido do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, empatados com 8%. Em seguida aparecem os estados de Minas Gerais e Paraná, com 4% do total de vagas ofertadas no site.

Ainda de acordo com o levantamento realizado pelo Love Mondays, cerca de 34% das oportunidades de trabalho disponíveis miram os profissionais que se encontram em fase inicial de carreira. Cargos de analista representam 20%, enquanto as vagas referentes a estágios chegam a 14%. Já os cargos gerenciais aparecem com 12% das posições, enquanto que posições para consultores aparecem com 6%, desenvolvedores com 6% e, finalmente, cargos técnicos com 6%.

Para Luciana, “não podemos ignorar os efeitos negativos da crise sobre a renda e instabilidade que ela traz ao mercado de trabalho, mas também não podemos desprezar a realidade de que muitas empresas seguem contratando”. A CEO ainda acredita que em muitos casos a contratação se deve à substituição de profissionais, mas há também setores que sentem menos os efeitos da recessão e que seguem aumentando o quadro de funcionários, como no caso das empresas de TI e de serviços financeiros.

Fonte: CanalTech

Add Comment

Your email address will not be published.

5 × 1 =