Search
+55 (11) 3358-7700

Computação em nuvem e Internet das Coisas vão alavancar a Saúde 4.0 nos próximos anos

O relatório anual ‘Tendências Globais da Mobilidade’, divulgado pela GSMA Intelligence em setembro revela, entre outras coisas, que 10 bilhões de conexões adicionais de Internet das Coisas (IoT) industrial serão realizadas até 2025. De acordo com a entidade, que representa os interesses das operadoras de telefonia móvel no mundo todo, este fator irá impulsionar a mudança para informática de ponta e descentralizada a uma ampla gama de setores empresariais.

Na esteira deste fenômeno ganha força a chamada Saúde 4.0, que tem como premissas a busca pela digitalização de dados, a interconectividade entre máquinas e comandos, bancos de dados mais eficientes e, principalmente, maior autonomia dos pacientes em relação à própria saúde.

É possível afirmar, com boa dose de precisão, que uma parcela significativa dessas 10 bilhões de novas conexões profetizadas pela GSMA se refiram por exemplo a smartphones dotados de aplicativos que poderão realizar exames de imagem, como ultrassonografias, e exames de oftalmologia.

Ao falar sobre o assunto em um artigo publicado no portal Saudeonline.net, o  diretor Comercial e de Marketing da Pixeon, Iomani Engelmann, explicou que a análise de dados coletados por wearables aplicada ao mapeamento do genoma humano possibilitará a personalização da medicina chegar a níveis tão sofisticados que os medicamentos poderão ser enviados diretamente à casa dos pacientes, com dosagens e identificações específicas.

Segundo ele, atualmente, em algumas instituições de saúde que investem em tecnologia, a computação em nuvem já permite ao médico acessar o prontuário eletrônico do paciente e os laudos de exames a partir de qualquer lugar, por meio de um dispositivo com acesso à internet. “É a tecnologia a serviço não apenas da saúde, mas da qualidade de vida e do bem-estar de todos da sociedade”, diz.

Para o especialista, a área da saúde foi uma das que mais avançaram em termos de uso da tecnologia ao longo dos anos. “Desde processos internos e exames minuciosos até redução de custos ou aumento do acesso a dados laboratoriais, é fato que a saúde caminha a passos largos para o desenvolvimento. Agora, cabe às empresas e instituições observarem de perto essa tendência, e ficarem cada vez mais atentas às mudanças e novas perspectivas. A Saúde 4.0 aos poucos vem se tornando realidade mundo a fora. Por aqui, o futuro já bate à nossa porta”, afirma.

Os profissionais da 7COMm estão atentos ao crescimento da Saúde 4.0 e já trabalham em parceira com laboratórios e indústrias deste setor no desenvolvimento de soluções tecnológicas. Caso sua organização tenha projetos relacionados entre em contato e vamos trabalhar juntos.