Search
+55 (11) 3358-7700

Estudo mapeia sete tendências que vão nortear o mercado de Cloud no Brasil nos próximos meses

Apresentado durante a 8ª Conferência Anual da ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software) no final de agosto, o estudo “2018 – Mercado Brasileiro de Software: Panorama e Tendências” revelou a situação do país no ranking mundial além de fornecer importantes indicadores a respeito das movimentações que deverão impactar setores como Big Data, Analytics, Cognitive/AI, cloud pública e multicloud, entre outros.

Utilizando dados do IDC referentes a 2017, a pesquisa colocou o Brasil na 9ª colocação no ranking mundial de softwares e serviços, com um mercado de US$ 18,6 bilhões (equivalente a cerca de 1,6% do total mundial, que girou em torno de US$ 1,14 bilhão em 2017). O país está muito próximo do tamanho dos mercados de nações como Holanda e Itália, que ocupam as 10ª e 11ª posições, respectivamente, e pouco atrás da Austrália, 8ª colocada na lista.

O mercado brasileiro de software como serviço (SaaS, na sigla em inglês) aumentou 28,1% em 2017 em comparação a 2016, totalizando US$ 611 milhões, ou R$ 2, 44 bilhões.

No que se refere especificamente ao mercado de cloud, o trabalho listou sete tendências que vão determinar o crescimento deste setor nos próximos meses. São elas:

  • A intenção de terceirização vem crescendo no Brasil, passando de 25% (2013) para 37% (2015), chegando a 44% em 2017/18.
  • A demanda por Cloud cresce intensamente, mas os gestores não distinguem claramente as modalidades e os serviços ofertados.
  • A demanda de performance e disponibilidade requerida por empresas digitalizadas é mais apertada, pressionando a infraestrutura por melhor confiabilidade e tempo de resposta.
  • Apesar de projetos de IoT começarem a ter tração agora, já há empresas com planos de oferecer Edge Datacenters
  • Soluções Híbridas continuarão predominando nos próximos anos no Brasil.
  • Multicloud já é realidade no Brasil – o volume de médias e grandes empresas que têm apenas um provedor é praticamente igual ao das que têm mais de um provedor.
  • Aumenta a percepção de que um Broker traz benefícios na contratação da Cloud Pública, ajudando na jornada de migração.

Com essa configuração, a expectativa dos responsáveis pela pesquisa é de que a contratação de infraestrutura, plataforma e software como serviço em cloud pública atingirá US$ 1,7 bilhão no Brasil em 2018 e praticamente dobra até 2020.

Segundo eles, cerca de 40% das médias e grandes empresas imaginam contratar cloud pública de um broker ou cloud service manager csm.

Caso sua empresa tenha qualquer tipo de dúvida na utilização de Cloud, procure a 7COMm. Nossos especialistas conhecem a fundo essas tendências e terão prazer em ajudar.