Search
+55 (11) 3358-7700

Investimentos para evitar ciberataques crescerão 9,9% ao ano nos próximos cinco anos

Enquanto a tecnologia avança a passos largos para se tornar cada vez mais móvel, as preocupações com a vulnerabilidade a possíveis ciberataques formam um consenso quanto à necessidade da adoção de padrões de procedimentos e processos capazes de ampliar a segurança. Este cenário tem exigido esforços das empresas para adaptarem suas estruturas a estes modelos e as previsões são de que os investimentos em segurança apresentarão uma taxa de crescimento anual de 9,9% nos próximos cinco anos. Como resultado, os gastos com o setor em 2022 serão 45% maiores do que os US$ 92,1 bilhões previstos para 2018.

Essas é a principal constatação do Guia Semestral Internacional de Gastos em Segurança da IDC (International Data Corporation). De acordo com o estudo, estima-se que os gastos mundiais em hardware, software e serviços relacionados à segurança chegarão a US$ 133,7 bilhões em 2022.

Em uma matéria publicada pelo portal ITForum 365, o vice-presidente de pesquisa da Security Products, Frank Dickson, explica que a privacidade chamou a atenção dos Conselhos de Administração à medida que as regiões buscam implementar padrões de conformidade e regulamentação de privacidade semelhantes ao GDPR.

“Privacidade é a nova palavra da moda e o impacto potencial é muito real. O resultado é que a demanda está em conformidade com esses padrões e continuará a promover os gastos com segurança no futuro previsível “, disse.

A pesquisa mostra que dentro da categoria de serviços, os de segurança gerenciados serão o maior segmento, entregando quase 50% do total da categoria em 2022. O software de segurança é a segunda maior categoria com gastos estimados em US$ 34,4 bilhões em 2018.

Entre as indústrias, o setor bancário fará o maior investimento em soluções de segurança, passando de US$ 10,5 bilhões em 2018 para US$ 16 bilhões em 2022. Os serviços, liderados pelo gerenciamento de segurança, serão responsáveis por mais da metade dos gastos da indústria durante a previsão. A segunda e terceira maiores indústrias, manufatura discreta e governo federal / central (US$ 8,9 bilhões e US$ 7,8 bilhões em 2018, respectivamente), seguirão um padrão similar, com serviços representando aproximadamente metade do gasto total de cada indústria. As indústrias que terão o maior crescimento nos gastos com segurança serão as telecomunicações (13,1% CAGR), o governo estadual / local (12,3% CAGR) e a indústria de recursos (11,8% CAGR).

Do ponto de vista do tamanho das empresas, as organizações grandes e muito grandes (com mais de 500 funcionários) serão responsáveis por quase dois terços de todos os gastos relacionados à segurança em 2018. Grandes (500-999 funcionários) e médias empresas (100-499 funcionários) terão o maior crescimento de gastos em relação à previsão, com CAGRs de 11,8% e 10,0%, respectivamente. No entanto, empresas muito grandes (mais de mil funcionários) crescerão quase tão rapidamente com um CAGR de cinco anos de 10,1%. As pequenas empresas (10 a 99 funcionários) também terão um crescimento sólido (8,9% CAGR), com gastos que deverão ser superiores a US$ 8,0 bilhões em 2018.