Search
+55 (11) 3358-7700

Elevar a qualidade dos dados nas empresas deve ser um benefício da LGPD

Muitas vezes o acúmulo de questões a serem resolvidas força a escolha de prioridades deixando coisas importantes sempre para depois. Neste sentido, a obrigatoriedade de ajustes para estar em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) pode ter um caráter positivo.  Por mais que as punições preocupem, a análise sobre o tema oferece uma oportunidade para as empresas trabalharem pelo aumento na qualidade dos dados.

Segundo a Pesquisa Global de Qualidade de Dados 2019, realizada pela Experian, um terço dos dados gerados é impreciso na maioria das empresas. Isto limita o aproveitamento dessas informações para a geração de melhores resultados de negócios.

Conforme um artigo publicado no portal da empresa, a forma como as empresas lidam com desafios de coleta, uso e aplicação dos dados é fundamental. Aliás, este fator tem o poder de determinar se essas corporações terão sucesso ou entrarão para as estatísticas de negócios que naufragaram.

Por isso, na adequação à LGPD, as organizações devem aproveitar para desenvolver habilidades que melhorem a qualidade dos dados gerados e, mantenham uma visão analítica.

Descentralização do gerenciamento dos dados surge como alternativa

De acordo com a pesquisa citada, 89% das companhias ainda batalham para chegar a um modelo de gerenciamento eficaz. Assim, elas afirmam ter como resultado os atrasos na geração de insights e falta de confiança na qualidade dos dados subjacentes.

Uma vez que se encontram nestes estágios, elas não conseguem lidar adequadamente com o volume de informação gerado e a quantidade de sistemas coletando dados.

Nesse hiato, surge como alternativa o modelo de descentralização do gerenciamento dos dados do departamento de Tecnologia de Informação (TI). Só para exemplificar, este modelo tende a ser eficiente segundo o panorama apresentado pela pesquisa. Afinal, 84% das empresas contam com a ajuda da equipe de TI para gerenciar o volume de informação. Por outro lado, a área responde por apenas 53% dos novos projetos orientados por dados. Nesse meio tempo já aparecem à frente aqueles que combinam áreas para conduzir o processo (28%) e equipes lideradas por um Chief Data Officer (24%).

Tecnologia especializada é a única forma de extrair a máxima qualidade dos dados

No modelo descentralizado, as regras precisam ser definidas com as áreas de compliance, qualidade dos dados, jurídico, segurança, entre outras.

Apesar deste movimento já estar acontecendo em algumas empresas, ele ainda precisa amadurecer. Em suma, é necessário o entendimento de que investir em itens como tecnologia especializada é a única forma de extrair a máxima qualidade dos dados.

Em virtude de seus 30 anos de suporte às maiores empresas do país, a 7COMm está preparada para aumentar a qualidade dos dados. Não apenas isso, mas nossa equipe especializada em Business Intelligence monitora as principais tendências, metodologias e tecnologias de coleta e análise de dados existentes. Enquanto isso, desenvolvemos parcerias capazes de orientar uma perfeita, rápida e econômica jornada para a conformidade total com a LGPD. Clique aqui e entre em contato.