Search
+55 (11) 3358-7700

Como se proteger da engenharia social para ter segurança na Black Friday?

Tecnologias para detectar a ação de golpistas não faltam e nem disposição da indústria financeira para se antecipar às suas ações.   Então, qual seria o motivo para o volume de fraudes continuar assustando os bancos? Em síntese, a resposta para este dilema pode ser explicada na expressão ‘engenharia social’.

De acordo com o diretor da Comissão Executiva de Prevenção a Fraudes da FEBRABAN, Adriano Volpini, atualmente, 70% das fraudes estão vinculadas à engenharia social. Este termo consiste na manipulação psicológica do usuário para que ele forneça aos golpistas as informações confidenciais. Na prática o que acontece é que o cliente é induzido a informar os seus códigos e senhas para os estelionatários, o que gera as fraudes e golpes.

Só para exemplificar, o executivo comenta que seja pelo telefone, por e-mail, ou pelas mídias sociais, o fraudador solicita dados pessoais do cliente. Seja como for, o fato é que, com a engenharia social ele acaba conseguindo números de cartões e senhas em troca de algo.

Como exemplo, ele cita o oferecimento de prêmios inexistentes, ofertas tentadoras e atrativas que, na verdade, direcionam para sites falsos. Não apenas isso, mas a engenharia social pede ainda recadastramentos urgentes sob o risco de o consumidor ter contas encerradas, caso não o faça.

Bilhões de Reais da Black Friday atraem os fraudadores

Com o intuito de combater a engenharia social, a FEBRABAN e 24 bancos intensificaram no final de outubro ações contra fraudes no ambiente digital. Nesse sentido, a ação intitulada Semana da Segurança Digital orientou a população a se prevenir contra fraudes. Assim sendo ela alertou sobre o golpe do WhatsApp, das falsas promoções e da troca de cartão, entre outros que geram muita dor de cabeça.

Por meio de comunicado, a entidade informa que a ação é inédita no Brasil e se inspira em campanhas dos EUA e da Europa. Da mesma forma que aqui, também nesses locais, essas iniciativas ocorrem antes da Black Friday, quando há um grande volume de ofertas no comércio digital.

A saber, a liquidação acontecerá no dia 29 de novembro quando, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, o e-commerce espera faturar R$ 3,45 bilhões. Isto significa um montante 18% superior ao ano passado. Da mesma forma, outro levantamento, do Google com a consultoria Provokers, aponta que a intenção de compra para a Black Friday aumentou 58% neste ano.

Sem dúvida são números que atraem muito a atenção dos fraudadores. Por consequência, a Febraban comenta que o objetivo é o desenvolver uma cultura de prevenção a fraudes e uso seguro dos canais digitais no país.

Tem coisa na vida que não dá para evitar. Mas, as fraudes, você pode

Para isso, cada banco participante promoveu, de forma independente, ações de conscientização em seus canais de comunicação. Neste sentido eles utilizaram hashtags como #SegurançaDigital/ #SemanadaSegurançaDigital / #CompartilheSegurançaDigital.

Em conclusão, o slogan da campanha, que se estenderá até o fim de dezembro diz: “Tem coisa na vida que não dá para evitar. Mas, as fraudes, você pode evitar”.

Por outro lado, caso sua empresa queira e precise ir além de campanhas educativas a 7COMm tem a experiência e a capacidade necessária para ajudar. Sem dúvida, com seus mais de 30 anos de atuação junto às principais marcas da indústria financeira, a companhia conhece bem a engenharia social. Desta forma, ajude seu cliente a se precaver. Clique aqui entre em contato e vamos criar barreiras mais fortes contra a engenharia social.